Normalização dos atributos & Desempenho dos classificadores

Pré-processar os dados, antes de treinar uma máquina de aprendizagem, é uma etapa vital para se conseguir extrair o melhor de cada máquina. São várias as formas de pré-processar os dados e esta tarefa depende da aplicação em investigação. Por exemplo: em processamento de linguagem natural, é comum realizar a tokenization que objetiva separar sentenças em unidades menores, tais como palavras.

O foco desta post é o pré-processamento dos atributos com o objetivo de colocá-los em uma mesma escala, ou dentro de um mesmo critério, com o intuito de minimizar a influência indevida de um atributo sobre o outro. Esta tarefa é realizada por técnicas de scaling, muitas vezes chamadas de normalização.

Min-max scaler é a mais utilizada e difundida técnicas de scaling. Nela, cada um dos atributos é ajustado para caber em um intervalo, geralmente, entre 0 e 1. Outras técnicas de scaling permeiam as aplicações e, entre elas, destaco: standard scaler, maximum absolute scaler, robust scaler e quantile transformer.

Diante desse contexto com várias técnicas de scaling e vários classificadores, alguns questionamentos emergem:

  • Vale a pena normalizar os dados?
  • A escolha da técnica de scaling influencia no desempenho dos modelos de aprendizagem?
  • Qual técnica escolher para um dado classificador?
  • Quais classificadores são mais sensíveis às escolhas das técnicas de scaling?

Estas e outras questões são abordadas no artigo de Amorim et al. que realiza uma ampla avaliação usando 82 bancos de dados públicos e cinco técnicas de scaling. Foi mostrado que escolher bem a técnica de scaling melhora a precisão de classificadores. Em particular, algoritmos baseados em árvores de decisão são pouco sensíveis à escolha da técnicas de scaling. Logo, em alguns casos, não normalizar pode ser a melhor opção.

O nível de desbalancamento do banco de dados é um fator que influencia a escolha da técnica de scaling. O standard scaler obteve melhor desempenho em bancos de dados com baixos níveis de desbalanceameto, enquanto o quantile transformer apresenta-se como a melhor escolha para os níveis médio e alto de desbalanceamento.

Os autores também ressaltam que a melhor técnica de scaling para um sistema de múltiplos classificadores coincide com a melhor técnica empregada por seu classificador-base. Assim, a definição da melhor técnica de scaling, para um sistema de múltiplos classificadores, pode ser realizada avaliando o comportamento das técnicas em um classificador-base, o que torna todo o processo mais rápido e barato.

Sabendo que o emprego de técnicas de scaling é bastante negligenciado nas mais diversas aplicações, Amorim et al. colocam luz nesta questão e mostram que devemos ficar alertas em relação a esse ponto sensível, pois a escolha da técnica influencia significativamente o desempenho de modelos de classificação.

Lucas B.V. de Amorim, George D.C. Cavalcanti, Rafael M.O. Cruz, The choice of scaling technique matters for classification performance, Applied Soft Computing, 2023.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: